Gestão, Marketing

4 dicas para uma boa gestão estratégica para escritórios de advocacia

A aplicação dos princípios do empreendedorismo em escritórios de advocacia resulta em uma gestão estratégica. Idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços e negócios é a essência do “empreender”. Para os advogados, isso envolve cuidar da relação com clientes, da gestão administrativa e financeira, da equipe e muito mais.

A gestão estratégica para escritórios de advocacia

Gestão estratégica é uma maneira de gerir um negócio de forma ampla, com planejamento, acompanhamento e execução das estratégias. A grosso modo, é um plano amplo que engloba todas as áreas dos serviços advocatícios. Considerando fatores internos e externos ao escritório, formulam-se objetivos, metas e as ações para atingi-los.

Para que seu escritório de advocacia cresça de forma responsável e saudável, a gestão estratégica deve se basear nas principais áreas: gestão administrativa e financeira, de stakeholders, de processos e marketing.

1: Faça um planejamento estratégico

Qualquer gestão administrativa-financeira de sucesso tem um ponto de partida: o planejamento estratégico. Por isso, se seu escritório ainda não possui um, é preciso dar especial atenção a ele. Esse plano faz um diagnóstico das forças, fraquezas, ameaças e oportunidades do negócio, considerando fatores internos e externos que influenciam nos serviços advocatícios.

Um dos resultados do planejamento é o plano de negócios, que conterá os dados principais do escritório: especialidade, principais serviços, stakeholders, localidade, investimento e tempo de retorno, faturamento mensal, expectativa de lucro e aspectos societários.

Ao lado do plano, o advogado pensará em como efetuar uma gestão financeira condizente com esses objetivos. Controle de fluxo de caixa, planejamento tributário e fiscal são boas práticas que podem alavancar os investimentos.

Quando o advogado consegue enxergar todos esses pontos, consegue tomar decisões mais fundamentadas para o crescimento do escritório. É o primeiro passo de uma gestão estratégica.

2: Conheça seus stakeholders

Os stakeholders de um escritório de advocacia são os advogados (equipe), clientes, fornecedores, parceiros, investidores e qualquer ator com quem se relacione. Conhecê-los é fundamental para uma gestão estratégica, porque é o ponto de diferencial de cada negócio. Qual a capacidade que você tem de planejar a comunicação com esses públicos? Há redes de relacionamento específicas para compreender o que cada um espera dos seus serviços?

Uma boa forma de melhorar essa comunicação, que tem papel direto na gestão de pessoal, é dialogar. Pergunte à sua equipe o que é preciso para melhorar o ambiente e a produtividade. Faça pesquisas de opinião com os fornecedores. Troque experiência com os parceiros. Obtenha o feedback dos clientes.

Essa gestão dos stakeholders é a única forma de alinhar as ações de forma estratégica para fazer com que o escritório preste seus serviços com mais qualidade.

3: Tenha uma boa gestão dos processos

Controlar os processos é algo inerente à advocacia. E quando falamos em processos, não estamos nos referindo apenas aos judiciais, mas também àqueles relacionados à operação do escritório.

Alexandre de Souza Teixeira, Sócio Diretor da In Company – Projetos de Marketing Jurídico, cita o que deve fazer parte da controladoria de uma gestão estratégica: “mapeamento de processos internos, monitoramentos dos prazos, publicações, atualização das informações em sistema de processos jurídicos, arquivos digitais, estagiários, rotinas, manuais de conduta, correspondentes, informação dos casos e integração com o departamento financeiro”.

4: Invista em marketing jurídico

O investimento em marketing jurídico é um dos braços importantes de uma gestão estratégica para escritórios de advocacia. O plano de negócios, apesar de ser um guia para o gestor, é, também, uma ferramenta de publicidade para apresentar o escritório aos stakeholders, em especial a parceiros, fornecedores e investidores. Mas o marketing não para por aí. Isso é só o começo.

Independentemente dos recursos disponíveis, há opções de publicidade que se adequam a qualquer orçamento. Desde que se obedeça às normas previstas no Código de Ética da OAB, o advogado pode fazer uso das redes sociais, de sites, blogs e outras inovações tecnológicas para divulgar seus serviços.

A dica de Alexandre para os advogados é simples: “Marketing não é propaganda, somente. Os resultados da produtividade e o retorno para a marca serão proporcionais ao nível organizacional empregado. Discuta este assunto com seus sócios, advogados e colaboradores. Trate isso como mais uma tarefa importante da profissão”, completa.

Com uma gestão estratégica, o escritório de advocacia se organiza desde as ações mais simples às mais complexas. Administração, finanças, pessoal, marketing e processos organizados significa crescimento na certa!

E você, como direciona sua gestão estratégica? Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *