Gestão

Entenda a importância da liderança no ambiente jurídico

lideranca-ambiente-juridico

O fluxo de trabalho nos escritórios de advocacia depende de vários fatores para ser eficiente, e um deles é a liderança nos ambientes jurídicos. Essa questão reúne habilidades e comportamentos que não são ensinados na faculdade ou em casa. Pelo contrário, é uma característica nata que é aprimorada ao longo da vida. Veja como a liderança impacta na transformação cultural e no sucesso de um escritório!

A liderança nos ambientes jurídicos

Trabalho em equipe, transmissão da cultura organizacional, dos valores e da missão do escritório. A liderança nos ambientes jurídicos desempenha todos esses papéis e vai além: esse profissional que ocupa um cargo de destaque é uma referência aos demais, sendo fonte de inspiração e motivação.

Esse ponto ainda é bastante difícil de ser atingido, porque os advogados não foram formados para trabalhar em equipe, mas apenas se relacionar com os diversos atores do Direito. Esse é o grande desafio do líder: integrar e fomentar uma relação multilateral.

Para que essa relação se crie e se mantenha de forma saudável, o líder corresponde à confiança nele investida. E como isso funciona dentro do escritório? Ele se coloca o mais próximo possível à sua equipe, se mantém acessível para resolver as questões requisitadas, desde as mais simples às mais complexas.

Imagine que um advogado do escritório, que sempre teve um ótimo desempenho, não esteja produzindo como antes. Ao invés de adverti-lo e, em medida extrema, dispensá-lo, o líder é aquele que procura saber os motivos. Esse profissional pode estar com problemas pessoais ou algo no escritório pode ter mudado e influenciado no trabalho dele. Ao identificar a causa, o líder contribui para resolver o problema, e não ignorá-lo.

Por isso, ele é uma figura de fundamental importância, já que impacta direta e positivamente na cultura do escritório.

Estilos de liderança

Os valores e os objetivos de uma empresa são transmitidos aos colaboradores pelo líder de cada equipe. A liderança nos ambientes jurídicos constrói e coloca em prática estratégias para estimular os demais advogados a atingirem o objetivo comum. Ela cria uma unidade de propósito, e para isso concentra algumas características como transparência, habilidade de gestão e comunicação, estando sempre atenta ao Código de Ética e Disciplina da OAB.

Há diversos tipos de liderança, e não necessariamente todos são eficientes.

O líder autoritário é muito comum nas organizações, e é focado em si mesmo. Ou seja, ele estabelece as regras, e os demais as cumpre. Só sua opinião vale. É o chefe. Ele impacta negativamente no escritório, que costuma ter advogados improdutivos e desmotivados.

No lado oposto, tem o líder liberal, que foca nos liderados, e a equipe exerce suas funções livremente. Por um lado, é bom, mas essa liderança nos ambientes jurídicos não funciona para profissionais desorganizados ou irresponsáveis.

Tentando balancear esses dois estilos está o líder democrático, que foca em si e nos liderados ao mesmo tempo. Todos fazem parte das decisões importantes, havendo ampla participação e comunicação interna. É a melhor forma de criar laços de relacionamento entre o líder e os advogados, contribuindo para produtividade e motivação.

O líder da atual geração

A liderança nos ambientes jurídicos atuais não deve ser somente democrática, que mantém a comunicação aberta e fomenta o verdadeiro trabalho em equipe. Atualmente, os jovens advogados têm habilidades que advogados mais antigos não possuem. Como se adaptar?

É preciso ser, de fato, inspirador, fazendo com que esses jovens admirem o líder e integrem essa identidade de valores e causas rumo a um objetivo comum. E como fazer isso? Entendendo e conhecendo a nova geração, que se baseia em avanços e soluções tecnológicas para o Direito. O líder precisa, então, “estar por dentro” das inovações adotadas pelo escritório e pelo mercado para conseguir liderar sua equipe.

Para liderar, é preciso conhecer os liderados. Na visão de Ísis Fontenele, Sócia-Fundadora da Performance Juris Consultoria e Presidente da Comissão de Inovação e Gestão OAB/GO, é preciso se adaptar às mudanças tecnológicas: “um processo de mudança planejado impactará na formação de uma equipe mais assertiva e energizada. E é por isso que a liderança neste processo é extremamente importante. O líder deverá conduzir todas essas mudanças, o que exigirá dele uma visão arrebatadora”.

E completa: “esta visão influencia na criação de uma cultura sólida, na qual a energia de todos os participantes da organização esteja alinhada. E isso trará resultados significativos, como a confiança e satisfação do cliente, uma força de trabalho comprometida, e até lucratividade”.

A liderança nos ambientes jurídicos é fundamental para a lucratividade. Um bom líder está antenado às transformações, principalmente tecnológicas, que invadem o Direito. Já identificou seu líder?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *