• Fenalaw Digital is part of the Informa Markets Division of Informa PLC

    This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Marketing

3 benefícios do marketing jurídico para o advogado

Um negócio, qualquer que seja seu segmento, precisa adotar práticas que o façam se destacar no mercado, afinal, quem não se mostra não é visto. Na advocacia, isso não é diferente, daí a importância do marketing jurídico para advogados e escritórios. Essa é uma estratégia que não pode ser negligenciada pelos profissionais, pois está diretamente atrelada ao sucesso.

O que o diferencia de outro advogado? O que faz com que um cliente opte por você? Essas respostas devem ser bem trabalhadas na hora de fazer publicidade aos seus serviços. E é o marketing jurídico, obedecendo aos preceitos do Código de Ética da OAB, que traça as estratégias necessárias para prospecção e fidelização de clientes, assim como promoção da marca.

Benefícios do marketing jurídico

O marketing jurídico, na visão de Kátia Macedo, idealizadora da Comunidade Mais e Melhores Clientes, “são todas as formas que você pode utilizar para comunicar seu valor e suas competências para os clientes para quem você deseja prestar os serviços jurídicos que oferece, ou quer oferecer”. Para Macedo, é ele quem “constrói uma plataforma que facilita a venda dos seus serviços por lhe assegurar prévia credibilidade aos olhos daqueles clientes”.

O marketing jurídico para o advogado é, antes de tudo, uma forma de ser visto. Dessa visibilidade, decorrem benefícios que impulsiona em direção ao sucesso, como construção de uma marca jurídica forte, aumento do networking, prospecção de clientes e bom relacionamento.

1: Construção de uma marca jurídica forte

Por meio das estratégias de marketing jurídico, o advogado consegue criar uma boa reputação no mercado. Mas como? Um exemplo simples é a manutenção de um blog com conteúdos relevantes para seu público-alvo. Por meio dele, é possível que o advogado se coloque como autoridade naquele assunto do meio jurídico.

A vantagem é que esse ganho de notoriedade vem acompanhado com o fortalecimento de sua credibilidade perante todo o mercado. Em outras palavras, ajuda a construir uma marca jurídica forte. Quando uma pessoa precisar de um serviço advocatício de seu ramo, certamente se lembrará de você, pois conseguiu se destacar em meio a tantos.

Outras boas formas de construir essa marca forte é ir a eventos, escrever artigos e publicações especializadas, além de criar um networking eficaz.

2: Aumento do networking

Todo advogado começa a construir sua rede de contatos ainda na época da faculdade. Colegas de curso, professores, chefes de estágio são as primeiras referências. Ao longo do tempo, a presença em eventos jurídicos, as parcerias firmadas com outros escritórios e as oportunidades de trabalho ampliam esse círculo.

Com o marketing jurídico, é possível potencializar esse networking, pelo simples fato de que todas as pessoas marcam presença na internet. O advogado não pode deixar de se colocar neste meio com autoridade, como mencionado: é nele que será visto por profissionais que não conheceria pessoalmente em um primeiro momento.

3: Prospecção de clientes e bom relacionamento

Um dos objetivos do marketing jurídico é aproximar os advogados de potenciais clientes. O primeiro passo a ser dado é o fortalecimento da marca e seu bom posicionamento no mercado, o que transmite credibilidade.

Entretanto, para dar seguimento a essa estratégia de prospecção, o profissional deve se tornar acessível ao público-alvo. Isso significa otimizar todos os canais de comunicação para que os interessados possam entrar em contato por qualquer um deles: e-mail, telefone, aplicativos de mensagens e redes sociais devem estar sempre disponíveis.

E, claro, é preciso dar uma resposta rápida. Por isso, se o profissional não consegue dar conta da demanda, é interessante ter alguém para fazer esse primeiro contato e a triagem, para que o interessado chegue ao advogado com alguma “bagagem”.

Quando chega o momento de se reunir com um potencial cliente, o profissional não pensa somente em prospecção, mas em bom relacionamento. Demonstrar atenção e empatia pela situação é melhor do que somente conhecimento. Não à toa, o contato pessoal é um dos pontos mais relevantes do marketing jurídico, já que ele é um fator decisivo para o cliente escolher um ou outro profissional.

E se você acha que o trabalho do marketing jurídico acaba quando o cliente é prospectado, se enganou. A fidelização e o bom relacionamento com ele é o que garante o sucesso de um negócio -não se esqueça disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *