• Fenalaw Digital is part of the Informa Markets Division of Informa PLC

    This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Especialistas, Marketing

Cultura digital: o mundo está mudando, e o marketing jurídico digital também

Muitas marcas supõem que apostar em marketing digital é suficiente para estar em dia com as mudanças do mundo moderno, mas isso não é uma verdade.

A cultura digital é uma realidade que se transforma de forma tão rápida, que faz com que atrativos digitais deixem de ser uma vantagem competitiva.

Assim, até mesmo a forma de fazer marketing digital pode se tornar ultrapassada em questão de meses.

Confira a nossa análise sobre o assunto e veja como sua marca pode fazer marketing digital de uma forma eficiente e diferenciada.

Cultura digital: como chegamos até aqui?

A Internet e a tecnologia vieram para facilitar a vida das pessoas. As maiores democratizações que elas trouxeram são:

  • o acesso ao conteúdo e à informação;
  • a praticidade para iniciar e manter relações – sejam as relações entre pessoas, ou entre pessoas e marcas.

No que diz respeito às relações entre pessoas e marcas, elas obviamente impactaram os hábitos de consumo e a maneira como as marcas vendem produtos e prestam serviços, pois a Internet tornou muito mais fácil conhecer uma marca e consumir seus produtos ou serviços.

Conforme essas facilidades aumentam, a tendência é que o consumidor tenha à sua disposição cada vez mais atrativos.

Afinal, a marca que não oferece os mesmos benefícios que as demais fica para trás. Assim, as facilidades trazidas pela cultura digital vão deixando de serem vantagens competitivas.

Hoje em dia, atrativos como a opção de comprar um produto pela Internet ou receber suporte por meio de whatsapp não é mais um diferencial de uma empresa: é praticamente uma obrigação. Em decorrência de tudo isso, os consumidores desenvolvem noções e expectativas muito altas sobre o que as marcas podem oferecer.

Pensemos, por exemplo, nos serviços de streaming de conteúdo de vídeo.

Há poucos anos atrás, ter a possibilidade de assistir a sua série favorita no horário que você quiser era considerado um luxo. Hoje em dia, até mesmo crianças pequenas já têm internalizada a ideia de que qualquerconteúdo pode ser acessado a qualquer hora. A ideia de ter que esperar para assistir à sua série favorita não faz parte do repertório de experiências dessas crianças.

A realidade do marketing jurídico digital hoje

Com base em todas as essas facilidades que a cultura digital tem trazido e o impacto delas nas crenças e expectativas dos consumidores sobre as marcas, fica cada mais complicado se destacar no ambiente digital.

Muitas marcas acreditam que o mero fato de construírem uma presença digital é suficiente para alcançar esse público se encontra submerso na cultura digital; mas isso não é uma verdade.

Como dissemos, ter uma presença digital, hoje em dia, é praticamente uma obrigação. Seu escritório não vai se destacar plenamente fazendo somente a obrigação.

Ter um site, um perfil nas redes sociais, nada disso é uma vantagem competitiva mais.

Em tempos de cultura digital, o que vai diferenciar uma marca é:

Posicionamento digital

Não basta que a marca esteja na Internet, é preciso que ela seja encontrada – e, além disso, que ela consiga passar a imagem certa ao usuário, quando ela for encontrada.

Isso pode ser feito por meio de estratégias de SEO, posicionamento e a construção de marca (branding).

Inbound marketing

O inbound marketing aposta no conteúdo para construir autoridade e iniciar um relacionamento com o usuário.

Mas, como foi dito, não basta fazer inbound marketing; isso, muitas marcas já fazem.

É preciso produzir conteúdo suficientemente relevante para ser diferenciado e ajustado para conquistar o interesse do público-alvo; bem como, otimizar o conteúdo para que ele possa ser encontrado nos mecanismos de buscas.

Relacionamentos

Em termos de overdose de informações, ganha quem conseguir construir relacionamentos. Conexões com pessoas são muito mais reais que conexões com dados.

O marketing digital possibilita relacionamentos por meio do inbound marketing, como dissemos acima, e também por meio de outras ferramentas digitais (apps, chats, e-mail marketing etc), que podem – e devem! – ser complementadas com estratégias offline, fomentando conexões humanas.

Como você pôde perceber, a cultura digital traz um universo de possibilidades e expõe uma realidade inescapável: o mundo está sempre mudando, e a sua forma de fazer marketing jurídico digital deve mudar sempre também.

*Por Alexandre de Souza Teixeira, Sócio Fundador da In Company e especialista em marketing jurídico há 14 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *