• Fenalaw Digital is part of the Informa Markets Division of Informa PLC

    This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Gestão, Marketing

4 comportamentos sabotadores para advogados (e como evitá-los!)

Comportamentos sabotadores são aqueles que te impedem de alcançar os resultados pretendidos. Na prática, em um escritório de advocacia, eles tiram o foco e prejudicam as atividades diárias. Ou seja, eles podem ser os responsáveis por você não conseguir elevar o nível do seu negócio ou atingir determinado objetivo.

Ou seja, você pode ser seu principal problema, o que te impede de realizar os seus sonhos. Conheça alguns desses comportamentos sabotadores e veja como lidar com eles!

Comportamentos sabotadores: conheça os principais

Estresse

Presente na rotina de quase todos os advogados, o estresse é um dos sabotadores mais comuns. A natureza da advocacia é lidar com prazos fatais, audiências longas, reuniões com clientes, trato com autoridades. Ou seja, práticas rotineiras que desgastam a saúde física e emocional dos profissionais.

Diante disso, se o advogado se deixar absorver por esse sentimento, ele se torna uma perigoso comportamento sabotador, que o impedirá de alcançar seus objetivos. Para evitá-lo, respeite o seu tempo de descanso e busque alternativas para aliviar as tensões do dia a dia. Não existe uma receita pronta para combater o estresse, já que cada um tem formas de relaxar diferentes. Mas investir no seu bem-estar é essencial. Mantenha o foco!

Inteligência emocional baixa

Viviane Sampaio, Psicóloga e Advogada especialista em Coaching Jurídico, acredita que um advogado que possui alta inteligência emocional tem habilidade de gerenciar seus próprios sentimentos de uma forma favorável para si e para os outros.

Para ela, “a pessoa é mais resistente psicologicamente diante das pressões do dia-a-dia e, consequentemente, não se impacta ou se altera tanto diante dos episódios vivenciados no dia”, conta. “O advogado que não cuida de suas emoções fica a mercê destas. De forma inconsciente, toma decisões e tem atitudes sabotadoras para sua carreira”.

A inteligência emocional é, inclusive, uma das habilidades dos grandes líderes jurídicos.

Desorganização e falta de foco

Nenhum negócio tem sucesso se seu principal motor não seguir um plano de ação. Muitos advogados apresentam comportamentos sabotadores neste sentido, que basicamente se manifestam em desorganização e falta de foco. Um profissional que quer ascender na carreira precisa, inicialmente, saber onde quer chegar. Isso demanda autoconhecimento para que o plano de ação traçado seja exequível.

Se o advogado é desorganizado e não tem foco, precisa compreender esses comportamentos sabotadores, que são seus pontos fracos. Viviane Sampaio aponta que “um plano de ação precisa ter estratégias para eliminar ou gerenciar os pontos fracos do advogado. Além disso, a consciência dos pontos fortes também é fundamental, pois estes podem ser potencializados e, consequentemente, turbinar os resultados e prover maior rapidez e agilidade na execução do plano”.

Falta de equilíbrio entre vida profissional e pessoal

Um dos comportamentos sabotadores mais comuns na advocacia é a falta de equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Isso acontece com frequência com os profissionais que não conseguem realizar uma boa gestão do tempo, o que interfere em sua produtividade e, consequentemente, na realização das tarefas.

Ter uma agenda só para os compromissos profissionais pode auxiliar nessa questão, mas o mais eficiente é ter consciência de que ter um tempo para si, para curtir familiares e amigos (sem o fantasma do trabalho), faz bem para a mente.

Como evitar comportamentos sabotadores

O primeiro passo para evitar os comportamentos sabotadores é reconhecê-los. Ou seja, é preciso entender que existe um problema que acarreta prejuízos em sua vida profissional. Em seguida, é hora de identificar os padrões de comportamento. Eles podem ser caracterizados pela procrastinação, pela autocondescendência (estabelecer justificativas para o próprio comportamento prejudicial) e outros sentimentos.

Por fim, é preciso projetar soluções, o que começa com um processo simples de autocondicionamento. Em outras palavras, tentar criar um hábito que combata os comportamentos sabotadores. Lembre-se sempre de avaliar se a solução está dando certo ou se será necessário procurar por auxílio profissional.

Quando o profissional consegue reverter o jogo, sua rotina se torna mais produtiva e leve. O resultado é certo: mais probabilidade de atingir o sucesso profissional.

O que você pensa sobre isso? Conte nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *