Fenalaw faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

8 erros da gestão financeira em escritórios

8 principais erros na gestão financeira de escritórios

Como você cuida da gestão financeira do seu escritório? Confira 8 erros para evitar, segundo o especialista Jorge Majeski, em palestra da Fenalaw 2019.

É inevitável: todas as áreas mais importantes de um escritório de advocacia influem e são influenciados pela gestão financeira. Isso quer dizer que marketing, lucro, gestão de pessoas e planejamento estratégico, por exemplo, dependem (e afetam) da forma como o escritório lida com suas finanças. “Tudo se conecta com a gestão financeira. Não tem como fazer um planejamento estratégico que não aborda a gestão financeira. Isso precisa ser levado em conta com seriedade e cuidado”, comentou Jorge Majeski, mentor de gestão financeira e sócio da Éos Inovação na Advocacia.

Especialista na área, o profissional subiu ao palco Fenaltalks, no segundo dia da Fenalaw 2019, para compartilhar com o público os 8 erros mais comuns da gestão financeira em escritórios de advocacia. A palestra foi aberta ao público e fez parte do bloco “Finanças” da programação.

Confira os 8 erros mais comuns da gestão financeira em escritórios

  1. Falta de disciplina: falta de procedimentos bem definidos, ausência de rotinas diárias, desorganização de planilhas e sistema de gestão são exemplos de problemas relacionados.
  2. Sócios interferindo na gestão: Evite mistura de bolsos pessoais e profissionais, a não-definição de um pró-labore e tome cuidado com a distribuição dos lucros sem controle, etc.
  3. Não registrar todas as operações: Tome cuidado com gastos ocultos, não descarte pequenas despesas e evite descontrole com custas.
  4. Não buscar melhorias constantes: Apostar em auditorias e na contratação correta pode gerar redução de custos.
  5. Não acompanhar a contabilidade: É preciso entender o mínimo das comprovações fiscais, obrigações fiscais e planejamento tributário. “Simplesmente contratar o contator e ‘delargar’ a função pode gerar muitos problemas. Você não precisa saber fazer, mas precisa saber minimamente o que ele está fazendo, para saber o que cobrar”, afirmou Majeski.
  6. Descontrole do fluxo de caixa: é preciso acompanhar os extratos e alimentar os controles, além de planejar o futuro e tomar decisões mais acertadas, baseadas nos dados.  
  7. Não analisar o desempenho: acompanhe as métricas do seu negócio, como faturamento x lucro, demonstração de resultados do exercício e centros de custos.
  8. Precificação incorreta: Não há critérios objetivos, mas não conhecer o custo do processo e o custo por hora são problemas que impedem uma precificação adequada.

 

Essas e outras palestras podem ser vistas gratuitamente até dia 25 de outubro, no palco Fenatalks, área aberta para visitação da Fenalaw 2019. Cadastre-se gratuitamente:

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar