Fenalaw faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Tendências do mercado jurídico

3 dados sobre o mercado jurídico brasileiro para prestar atenção

Confira alguns dados importantes e prepare-se para o cenário jurídico nacional!

A era atual é permeada por transformação digital e social. Tecnologias invadiram as relações profissionais e pessoais. Advogados buscam novas formas de atuar. Existem dados sobre o mercado jurídico brasileiro que trazem um pouco dessas tendências e mudanças pelas quais passamos. Eles envolvem lawtechs, comportamento do mercado e concorrência. Confira!

Escritórios de médio porte têm bom desempenho competindo com grandes players

A Thomson Reuters compilou dados que comprovam a grande participação dos escritórios de médio porte, mesmo quando competem com as grandes bancas. Bill Josten, do Thomson Reuters Legal Executive Institute, salienta que falar que “grandes clientes corporativos têm sido historicamente reticentes em trabalhar com escritórios de advocacia de pequeno e médio porte é impreciso. Simplesmente não há evidências de que clientes maiores optem por trabalhar com empresas maiores com mais frequência ou que clientes menores preferem empresas menores”.

A análise do Legal Executive Institute envolveu escritórios de advocacia que representaram empresas da Fortune 50 desde 2014. Ela trouxe alguns dados interessantes:

  • Em 2014, somente 29% dos litígios foram tratados por escritórios de médio porte;

  • Em 2018, a participação de escritórios de advocacia de médio porte cresceu para mais de 36%, mesmo com a diminuição do volume total de questões judiciais em torno de 25%.

A pesquisa ainda aponta alguns motivos que impulsionaram o crescimento dos escritórios de médio porte. A primeira razão seria a economia, pois as grandes bancas geralmente têm um preço alto. Mesmo que os clientes se sintam à vontade para pagar o custo quando o trabalho o justifica, isso não ocorre o tempo todo. Afinal, o valor cobrado pelos grandes escritórios cresceu bastante nos últimos 5 anos, fazendo com que a procura por opções mais econômicas também aumentasse. 

O segundo motivo é que os clientes entendem que ter uma menor infraestrutura não quer dizer ausência de experiência. Por fim, o terceiro motivo é a forma como o serviço jurídico é prestado. Os escritórios de advocacia de médio porte pode produzir uma enorme quantidade de trabalho jurídico mesmo com um pessoal modesto. Basta utilizar soluções que otimizam a eficiência e a capacidade produtiva de cada profissional.

É, sem dúvidas, um dos dados sobre o mercado jurídico brasileiro que quebra muitos mitos.

Lawtechs avançam e dinamizam mercado jurídico

Dentre os dados sobre o mercado jurídico brasileiro que merecem grande atenção está o crescimento de 2.400% em 3 anos no número de lawtechs no Brasil. E esse número diz respeito somente àquelas associadas à AB2L. Atualmente, são 500 negócios associados que permitem ao advogado ter uma visão mais estratégica, já que assumem as tarefas automatizáveis.

Ainda em 2003, época em que sequer existia internet de banda larga, a pernambucana Kurier, composta somente por profissionais de TI, fazia a leitura do Diário Oficial por meio de software e enviava as informações de interesse aos clientes. Atualmente, ela cresce 25% ao ano e conta com 150 colaboradores e atende 1,7 mil clientes.

Com a invasão das lawtechs, cujas soluções são amplamente utilizadas por escritórios de advocacia e departamentos jurídicos, o mercado se dinamizou. Tanto é que muitas bancas procuram por especialização para desenvolver suas próprias soluções, otimizar seus serviços e ampliar suas atividades. Esse é um dos dados do mercado jurídico brasileiro que merecem atenção, porque modificam a forma de trabalho dos negócios de Direito.

Pesquisa estima mais de 1 milhão de advogados no Brasil em 2018

Um dos dados sobre o mercado jurídico brasileiro que nunca foi contestado é a concorrência acirrada. E ele é confirmado com frequência por meio de pesquisas, como a realizada pela Selem, Bertozzi & Consultores Associados. O escritório, em 2018, levantou dados que estimaram a presença de mais de 1 milhão de advogados no Brasil. O número é acompanhado por um vertiginoso crescimento do número de faculdades na área jurídica (1.120 instituições à época). 

Atualmente, os dados da OAB confirmaram a pesquisa do escritório. São mais de 1,1 milhão de advogados no Brasil, sendo um profissional para cada 190 cidadãos. A estimativa considera somente os advogados inscritos na Ordem, desconsiderando estagiários (26,6 mil) e suplementares (48 mil).


Esses dados sobre o mercado jurídico brasileiro trazem muitas reflexões aos profissionais. Principalmente sobre o uso de tecnologia, que já é imperativo. Com ela, é possível competir em pé de igualdade com bancas gigantes, dinamizar a prestação dos serviços e se destacar na concorrência. Que tal conhecer algumas soluções de inteligência artificial para o mercado jurídico?

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar